Intolerância ao leite

Intolerância ao leite e suas consequências

Estive lendo um texto sobre a história da humanidade. Chamou-me a atenção, entre outros tópicos, a importância que a utilização do leite de origem animal teve na evolução do homem.

A partir do momento em que cabras e vacas foram domesticadas e seu leite ingressou na dieta das crianças, as mães tiveram mais tempo para se dedicar aos seus afazeres, que iam desde plantar e proteger as plantações aos trabalhos domésticos. Ao homem ficava restrita a caça e a pesca e não sabemos bem a consequência disso em sua saúde.

Intolerância à lactose e alergia ao leite de vaca são duas patologias diferentes, embora apresentem sintomas semelhantes. A alergia é provocada pelas proteínas presentes no leite, identificadas pelo sistema imunológico como um agressor que precisa ser combatido, enquanto que na intolerância à lactose, o organismo não produz ou produz pouca enzima lactase, responsável pela digestão do leite, o que pode desenvolver ou agravar uma infinidade de transtornos à saúde.

Hoje sabemos que uma porcentagem importante da população nasce ou desenvolve uma intolerância, que pode ser parcial ou total ao leite de origem animal e eventualmente também aos seus derivados.

Vamos citar algumas queixas mais comuns e que sempre ouvimos nos consultórios médicos:

  • No que diz respeito ao aparelho digestivo: diarreia e/ou constipação, aftas, halitose (mau hálito), cólicas intestinais, prurido anal, cólon irritável, enfermidade ou doença de Crohn, úlcera duodenal e uma infinidade de outras patologias.
  • Muito comum também são as patologias de pele nos intolerantes ao leite, especialmente as dermatites, as descamações, coceiras, as rinites, sinusites etc.
  • Estudiosos tem relacionado a maior presença de catarata ocular do idoso ao maior consumo de leite.
  • Crianças irrequietas e com insônia também podem sofrer de intolerância.
  • O leite pode estar ligado à obstrução arterial e a alguns cânceres: lembremos que 65% de sua gordura é saturada (aterogênica).
  • E para não alongarmos, muito lembramos também que a intolerância ao leite pode ser um dos grandes causadores de dores musculares e articulares e, em alguns casos, de bronquite asmática.

Portanto sugiro que consulte seu médico sobre esse tema. Fique alerta em relação aos sinais de intolerância à ingestão de leite, pois é uma situação patológica que pode ser grave e está cada vez mais presente na nossa sociedade.

Observação: estudo publicado pela Universidade de Connecticut comprova que a ingestão de Ômega 3 durante a gestação reduz o risco de depressão pós-parto e auxilia no desenvolvimento do bebê.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
4 + 22 =